Fundação

Filmes do Gajo é uma empresa dedicada ao cinema, fundada em 2011 por Mário Gajo de Carvalho.

 

Trabalho

Desde a sua fundação, esta produtora de cinema produziu filmes como Circus Movements (2019, realizado por Lukas Berger e Mário Gajo de Carvalho, 15 minutos, com estreia no 57th Ann Arbor Film Festival nos EUA), O Rapaz e a coruja / The Boy and the Owl (2018, realizado por Mário Gajo de Carvalho, estreado no 29th CineMagic no Reino Unido), Histórias de Lobos / Histories of Wolves (2018, realizado por Agnes Meng, 22 minutos, com estreia no 25th Hotdocs Canadian International Documentary Festival e premiado com o Award Best International Short Documentary no 21st Guanajuato International Film Festival), John 746 (2017, realizado por Ana Vîjdea, 33 minutos, estreado e premiado com o Best Young Director no 15th Doclisboa), Rehearsals (2015, realizado por Ana-Maria Vîjdea, 60 minutos, com estreia no 55th Krakow Film Festival), Circus Debere Berhan (2015, realizado por Lukas Berger, 11 minutos, com estreia no 20th Milano Film Festival), Onde o Meu Amigo Pintou Um Quadro / Where my friend made a painting (2014, realizado por Pedro Florêncio, apresentado em festivais de 9 países e premiado na Roménia), O lugar que se mantém ... / The place that remains ... (2014, realizado por Mário Gajo de Carvalho, com estreia no 10th Berlin Directors Lounge Contemporary Art and Media e apresentado em festivais de 10 países), entre outros.

 

Objetivos

Os objectivos desta produtora são: a valorização, a visibilidade e o enraizamento do Cinema Português na sociedade Portuguesa, a contribuição por meio do Cinema para uma maior visibilidade e consciencialização da cultura de Portugal e da língua portuguesa no exterior, a conquista de relevância internacional por meio de co-produções e acessibilidade dos seus filmes.